Tudo junto misturado – Conheça Sérgio Campelo

sergio

Misturar café com tinta, autoretrato com caixa de cerveja, colagem, carvão, lápis…tinta de novo…assim fica difícil terminar o dia limpinho e penteadinho né? Ainda bem! porque o estilo do artista que vocês vão conhecer hoje  é fora dos padrões, tipo – tudo junto misturado!

Sérgio Campelo estudou aqui na Pandora, trabalhou com design gráfico, com embalagens, com desenhos arquitetônicos, desenho para indústria. Cansou, foi pra Portugal, voltou, e vai trabalhar aqui com a gente em breve! Bom, isso e outras coisas é ele mesmo quem vai contar!

 

Pergunta clássica: como você começou a desenhar?
Minha história com o desenho começou quando eu era criança. Tinha um primo que desenhava e eu também queria. Na adolescência comecei a desenhar em balões de festa junina. Desenhava e decorava o balão. Depois desenhava em camisetas e pintava, bordava, fazia serigrafia…tudo! Aí comecei a trabalhar fazendo embalagens, fui me interessando por design e caí na mecânica – desenhos mecânicos na produção industrial. Tudo sempre me levando para o desenho. Desenhava placas de reconstrução óssea, máquinas de reciclagem de plástico tudo com medidas certinhas de desenho.

5a

E quando a Pandora entrou na sua vida?
Foi minha resolução de fim de ano em 2004, que no próximo ano eu faria um curso de desenho, e aí encontrei a Pandora.
Meu professor era o Ricardo. E aí comecei, mas não via possibilidade de uma vida profissional com o desenho criativo, só hobby. Perguntei pro Ricardo em que poderia trabalhar com o desenho. Ele foi comigo na loja que tinha na Pandora, na época, e mostrou umas revistas e explicou que tinha possibilidades trabalhar com ilustração editorial, moda, arquitetura, design, móveis, publicidade…uma série de coisas.  Continuei estudando, e passei com quase todos os professores da escola.

4c

Como começou a trabalhar na área?
Em 2008 fui trabalhar com trabalho freelancer voltado mais para arquitetura, identidade visual, design gráfico. Fui fazendo cursos, ampliando os horizontes… pensava “posso fazer isso, posso fazer aquilo”.
Depois entrei na faculdade de Artes Visuais da Puc e segui o caminho do design. Fiz intercâmbio com a faculdade por 2 anos em Portugal fazendo curso de pintura e gravura na faculdade de Belas Artes em Lisboa.

4b

Como foi a sua experiência em Lisboa?

Foi legal ir pra ver as coisas sob outra perspectiva. Livros infantis, por exemplo, são muito diferentes, bem fora do padrão Disney. Acho que lá, o mercado editorial de livros é mais amplo, com várias pequenas editoras.

Essa experiência vivida lá eu vou trazer aqui para Pandora.
Ah, eu vi o Fractal do Eduardo Ferigato,  no festival da Amadora BD, logo que cheguei!

 Que tipo de material costuma usar?

Como a minha formação mistura tudo, no material também faço isso. Vou pintando, colando, deixo a criatividade fluir. Tenho pinturas a óleo, grafite, carvão, gravuras (xilo, linólio, metal, litogravura e serigrafia) guache, canetas… o que tiver na frente.

4a

A ferramenta faz diferença. O carvão mesmo deixa tudo muito solto, porque é mais rústico e aí não nos focamos tanto nos detalhes. É rápido, você olha e vê que fez um desenho em 5 minutos. Ele solta o braço.

pb

Por falar em materiais, qual a história das embalagens de cerveja?
Ah… era para um trabalho de autoreprodução e autoretrato, e como eu gosto muito de cerveja eu desenhava, bebendo ou vice e versa, e usava a embalagem. Assim se eu bebia, desenhava! Isso não é nada certo de se fazer, beba com moderação kkkkk

cervejas1

cerveja3 copy

Para finalizar, dá uma dica pra quem quer fazer desenho, mas acha que não vai conseguir trabalhar na área.

Não ter medo de acreditar. Se você gosta realmente disso e quer fazer, faça! Ah, e se liberte do perfeccionismo. Ele nunca deixa a gente terminar um desenho, por que nunca está bom! Não se preocupe em fazer o traço igual ao de outro artista. Cada um tem um traço. Faça bem feito o que você tá afim de fazer. Vai encontrar uma forma que vai ser só sua e vai ser reconhecido por isso. Descubra o seu meio de fazer.

E desenhe muito, todo dia. Para aprender tem que treinar!

 

...Shares
Esta entrada foi publicada em Equipe, Noticias, Professores e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta