Visitante Internacional

adriano

A Pandora está cada vez mais internacional! Além dos diversos prêmios e homenagens que seus professores acumulam ao longo dos anos por todo o mundo, estamos muito honrados em receber um angolano que veio de sua terra natal ao Brasil exclusivamente para aprimorar a sua arte em nossa escola. Serão 40 dias lapidando o seu traço junto a 3 de nossos artistas! Bem vindo, Adriano! Espero que possamos atender às suas expectativas! Abaixo, segue um bate-papo com ele, a fim de conhecê-lo um pouco mais:
Qual é a sua relação com o desenho? Você veio para cá para aprender a desenhar começando do zéro?

Já desenho a muito tempo, desde criança, mas desenho mais por modelo, olho e copio. Não sou bom em desenhar aquilo que eu imagino, sem ver algum modelo pronto. Mas com os anos, a arte de desenhar ficou para trás devido aos processos políticos de meu país. E quando não se desenha por muito tempo, cria-se dificuldades em voltar a desenhar depois.

E por que fazer um curso de desenho agora?

Acontece que agora estou trabalhando num instituto voltado à Educação Cívica Eleitoral, e eu dirijo uma área onde trabalhamos com banda desenhada (histórias em quadrinhos). Consegui produzir algumas bandas desenhadas do meu jeito, mas havia necessidade de aprimorar. O trabalho estava sendo feito sem técnicas, então houve a necessidade de me profissionalizar.

o que consegui produzir sozinho, foi porque desde muito cedo acompanhava as bandas desenhadas. Sempre li Tio Patinhas, Zé Carioca, e outros. Mas os desenhos ficavam com deficiência, sem técnica, e era preciso fazer um trabalho com melhor qualidade.

E como foi que você encontrou a Pandora? Por que escolheu estudar aqui?

Em uma pesquisa pela internet, descobrimos várias escolas de artes no Brasil e Portugal, mas preferimos a Pandora, porque focava em anatomia nas ilustrações e a minha maior dificuldade é em anatomia. Estou aqui desde o dia 14 de setembro e minhas aulas começaram no dia 16 de setembro, e tenho visto metodologias que eu não conhecia, e espero que este conhecimento me sirva como base para superar esta dificuldade que eu tenho da anatomia, da construção do corpo no desenho. É um período de 30 dias.

Quem são seus professores? Como foi recebido por eles?

Tenho 3 professores: o Vitor, o Mário Cau e o Bira. Os professores me receberam com muito carinho, não tenho razão de queixa, são muito simpáticos. Este também foi um dos motivos da escolha pelo Brasil, e não por Portugal – porque nos identificamos com os brasileiros.

Qual a sua expectativa em relação ao curso?

Criar personagens com base na capacidade imaginativa e não copiando modelos. Quero projetar o que eu imagino, de forma eficiente.

Eu imagina um personagem em uma posição, e tinha que procurar uma revista em que tivesse alguém nesta posição para copiar. Mesmo sabendo desenhar rostos sem dificuldades, a anatomia me fazia falta para desenhar o corpo e as posições. Estar livre para desenhar sem modelos. A criação tem que ser nossa, para podermos dizer – esta é a minha obra prima.

Ao retornar, espero poder dizer para todas as pessoas que apostaram em mim, que passei pela Pandora e aprendi!

...Shares
Esta entrada foi publicada em Noticias e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta